Noite da literatura e da folkcomunicação

A segunda noite da 14ª edição do Folkcom foi bastante movimentada. Os estudos tiveram início na Central de Integração Acadêmica, com o lançamento de quatro livros que abordavam contextos da comunicação e da folkcomunicação.

Os títulos são: Antropologia da Comunicação de massa, obra organizada pelas pesquisadoras Isabel Travancas e Júnia Martins, a obra apresenta estudos aprofundados de diversos autores sobre a Comunicação massiva da mídia e dos meios tidos como tradicionais; a segunda obra intitulada por Crônicas: a arte do útil e do fútil, do autor Wellington Pereira discute a relevância dada por meios de comunicação a determinadas temáticas veiculadas na mídia.

O livro de número três tem como título Folkcomunicação e novas abrangências do desenvolvimento local, uma organização dos pesquisadores Severino de Lucena Filho, Suelly Maux, Andréia Karinne Albuquerque e Júnia Martins, a obra é um ebook que reúne pesquisas da folkcomunicação e da cultura local; Por fim o último o título denominado Roberto Benjamim: pesquisas, andanças, legado, de organização de Guilherme Moreira Fernades, Luiz Custódio da Silva, José Fernando Souza e Silva, Júnia Martins, Maria José Oliveira, e José Marques de Melo. A obra fala sobre os estudos e considerações deixadas pelo saudoso escritor e estudioso da Cultura popular no país, Roberto Benjamim.

Paralelo ao lançamento dos livros ocorria também à venda de obras produzidas pela Editora da Universidade Estadual da Paraíba (ADUEPB), na realização do projeto ambulante, quanto vale um livro? que já visitou grande parte dos Campos da Universidade realizando a venda de livros por um valor simbólico ofertado inicialmente pelo próprio aluno, o projeto visa distribuir a produção de obras produzidas pela editora e divulgar o trabalho de seus autores. A procura por obras em um preço acessível por parte do corpo discente é grande e o projeto é exitoso.

Já no da CIAc, eram expostos cordéis de vários autores locais e de toda a mesorregião Paraibana, juntamente com a exposição de um curta, produzida pela organização audiovisual do evento, que falava sobre folkcomunicação. Todas estas manifestações culturais atraíram um grande público que lotou o auditório II (CIAC) para assistir a terceira mesa redonda que debatia Jornalismo Cultural e Manifestações da Cultura Popular e Regional, a mesa contava com grandes nomes do jornalismo, como Saulo Queiroz, e da cultura popular de Campina Grande e da Paraíba, a exemplo a cantora e jornalista Sandra Belê, a mesa foi mediada pelo Professor Me. Jorge Dellane da Silva Brito.

Por Mirelly Souza (repórter) – Luiz Felipe Bolis (editor)