Sonhos: o que move e colore a vida

Ao procurarmos no dicionário Aurélio o significado da palavra sonho encontramos a seguinte definição:  “utopia; imaginação sem fundamento; fantasia; devaneio; ilusão; felicidade; que dura pouco; esperanças vãs; ideias quiméricas.” Uma pequena palavra que possui diversas definições e que move o ser humano.  Não seria exagero afirmar que todo mundo tem um sonho. Do mais simples ao mais complexo. Um sonho é um sonho, independentemente do tamanho. Aliás, sonho não tem tamanho e também não existe idade para sonhar. São eles que nos mantém vivos e em pé para aguentar as durezas, obstáculos e desafios do nosso cotidiano. É como se fosse uma válvula de escape, que quando tudo parece desabar, soa como um estalo que nos lembra que é preciso ficar firme para buscar e conquistar algo que almejamos.

O sonho é algo que mobiliza Maria Regina, de 17 anos, fã do cantor sertanejo Luan Santana. No mês de junho, nas redes sociais, foi criada uma campanha que tinha como objetivo propagar um encontro entre ela e o cantor no dia do seu show no Parque do Povo, onde ocorrem as comemorações juninas do município de Campina Grande. Entre curtidas e divulgação, a equipe do Repórter Junino fez uma matéria em que contava um pouco da história da menina e de sua trajetória acompanhando Luan.

Maria Regina nasceu  com  uma  deficiência chamada Distrofia Muscular – Emery Dreifuss,  que  não  permite  o  desenvolvimento  dos  músculos  e,  por  consequência,  não a permite andar. Realizar o sonho de ir ao show do ídolo durante os festejos juninos não seria fácil, pois o lugar   que   seria   destinado   aos   cadeirantes – que  era  o  camarote  da  acessibilidade – disponibilizado pela prefeitura do município era muito alto e ela não conseguiria acompanhar os passos do cantor.

Porém, o vídeo compartilhado e a matéria feita, resultou no aumento da mobilização das pessoas nas redes sociais, e assim, o sonho de Maria Regina em conhecer a pessoa que a encorajou a seguir em frente, a superar os desafios e a correr atrás dos seus desejos se tornou uma realidade.

O caso de Maria Regina – que também sonha em ser publicitária – é a prova de que a união faz a força. De que olhar para o outro é essencial e que a empatia pode transformar o mundo. Com um pouco de amor, divulgação e força de vontade para fazer o bem, Maria realizou um dos seus sonho no dia 29 de junho de 2017, dia em que o amor genuíno se espalhou pelo Quartel General do Forró. Luan, o responsável por fazer crescer em Maria Regina algo tão bonito, recebeu esse amor em dobro.

Sonhos se tornam reais quando a gente, acima de tudo, acredita e idealiza, de forma bonita, aquilo que te faz levantar todos os dias para correr atrás. Maria Regina, fã há oito anos, acreditou durante todo esse tempo que esse encontro era possível de acontecer. E aconteceu! Uma adolescente de dezessete anos deu uma lição incrível: se fazemos as coisas com amor e fé, uma hora a vida retribui. Pode demorar, mas chega.

Luan que tanto coloriu os dias de Maria, foi pintado pela cor mais bonita que existe neste mundo: a cor do amor.

E por falar em cor, há outra pessoa que colore os dias – ou melhor, as unhas – das pessoas em Campina Grande. Essa é uma tarefa de Elizabeth. Ela é professora de um dos cursos mais procurados da Casa de Caridade Padre Ibiapina, o de manicure.

A Casa de Caridade Padre Ibiapina, localizada no Bairro José Pinheiro, é um lugar onde as pessoas se reúnem em prol da comunidade. Surgiu em 1958 com a irmã Cícera e desde lá é um ambiente sem fins lucrativos.  A casa é mantida através das doações e abre todos os dias para receber a comunidade.

É neste local em que o sonho ganha cor. Elizabeth dá aulas para jovens e adultos sobre unhas. Porém, antes de ser professora, ela era manicure. Sua paixão que começou ainda na infância, nutrida pela mãe, acabou sendo pausada devido aos problemas de saúde – decorrência da profissão que levava. Para não acabar com aquilo que lhe dava motivos para viver, resolveu, voluntariamente, se candidatar para ensinar aquilo que ela veio aprendendo desde criança: o universo das unhas.

Entre os oito cursos oferecidos pela casa, o de Manicure, é um dos mais procurados e desejados. Os cursos, que são gratuitos, têm duração de cerca de três meses e as aulas acontecem duas vezes por semana. Através do curso oferecido no local, Elizabeth teve a oportunidade de dar continuidade ao seu sonho, como também, de ajudar outras pessoas da comunidade em obter uma fonte de renda.

Elizabeth conta com um sorriso no rosto que antes mesmo do curso acabar, as alunas já começam a entrar no mercado de trabalho e a ganhar seu próprio dinheiro. Assim,o resultado do curso de manicure vai mais além, fazendo com que o sonho da professora não se limite à sala de aula. A paixão pelas unhas que a mãe de Elizabeth plantou nela, agora está sendo plantado num terreno muito maior.

A história e o trabalho de Elizabeth não se trata apenas de incentivar jovens e adultos a seguir carreira em determinada profissão e nem de conquistar independência e ter seu lugar no mercado, mas também sobre pessoas que entraram no caminho de Elizabeth perdidas e desmotivadas e que descobrirem a importância de sonhar e que para isso é preciso ter fé.

Esses ensinamentos cultuados na Casa de Caridade Padre Ibiapina transformaram a vida de Elizabeth ao colorir as unhas de suas clientes, e agora, dos alunos da turma de manicure de 2017.

Regina e Elizabeth. O que elas têm em comum? A fé de que o amor é capaz de tudo. Principalmente de realizar sonhos.

Um sonho: Uma possibilidadeFotos: Kermelly/Luana/Sabrina

Por Kermelly Santos, Luanna Albéria Sabrina Cipriano (repórteres) – Luana Gregório (editora)