Projeto social desenvolve o futebol feminino no município de Ingá

O projeto Fábrica de Sonhos: ‘Vitor, o Pequeno Gigante’ nasceu do desejo de Luiz Filho de transformar vidas. A sua e a de outras pessoas. Ex-morador de rua e ex-dependente químico, Luiz encontrou no projeto obstinação para continuar enfrentando as ‘partidas da vida’. Depois de três meses acolhido e acolhendo na base de recuperação Leão de Judá, em Massaranduba, no agreste paraibano, sentiu a necessidade de voltar a sua atenção novamente ao esporte. Assim, optou por deixar a missão da base para dar o pontapé a um dos seus sonhos mais antigos, que há muito estava ‘esquecido’: ser instrutor de futebol feminino.

Atualmente, está instalado na cidade de Ingá, no agreste da Paraíba, se mantendo com a ajuda de um amigo que patrocina sua moradia na cidade. Quando questionado sobre ter interrompido sua recuperação na base Leão de Judá, ele diz que acabou, está muito bem, e fala de onde está vindo seu estímulo para continuar ‘são’. “Estou muito bem graças a Deus. E até porque agora elas são a minha força e a minha resistência, porque se eu parar eu morro (risos). Então elas vão ter que me aguentar por um monte de tempo”, ressaltou.

Luiz Filho não contém seu entusiasmo em falar do progresso do projeto, do resgate do futebol feminino na cidade, que está sendo abraçado não só pelas alunas, mas por seus familiares, vizinhos e amigos. “Tá repercutindo muito na cidade o futebol delas, já estão querendo fazer o primeiro torneio.” Atualmente 32 meninas de diversas faixas etárias fazem parte do projeto. A inclusão acontece pelo famoso ‘boca a boca’ e funciona como coração de mãe: ‘sempre cabe mais um’.

Com o intuito de contribuir para o desenvolvimento do futebol feminino no município, o Industrial Futebol Clube, um clube particular da cidade, vem apostando no projeto e cede o campo, as bolas e materiais para a realização dos treinos. Consolidando assim, a equipe feminina do Industrial Futebol Clube. Além disso, o time conta com o apoio da prefeitura que disponibiliza o transporte para os jogos.

Porém, para conseguir dinheiro e confeccionar os uniformes e outras despesas, Luiz e as meninas fabricam sonhos e vendem pela cidade. “A Fábrica de Sonhos” surgiu porque cada menina tem um sonho e encontraram o caminho para a realização através das vendas dos doces.

Marta Helena,18, é uma das meninas do time, mora em Itatuba, cerca de 13 KM de Ingá e participa de todos os treinos. Além de morar em outra cidade, Marta tem uma filha de apenas 3 anos que também frequenta os treinos junto com ela. Boto ela na frente da moto e venho normal”. E assim, ela diz que vai, apesar de todas as dificuldades, buscando a concretização do seu sonho de criança. “Só desisto um dia se Deus me tirar daqui, mas a não ser vou seguir em frente. Sempre”, pontuou.

Luiz, assim como Marta, Dayane, Lilian, Maria, Adriely, Ana Júlia e tantas outras meninas agraciadas pelo projeto, também segue em frente, planejando seu futuro. “Meu plano pro futuro é de chegar minha velhice, sentar em uma cadeira ou no terraço de uma casa, ligar a televisão e ver algumas meninas dessas num futebol profissional”, diz com um sorriso terno.

Em meio a sonhos e às ‘partidas da vida’, muitas jovens participam do Industrial Futebol Clube, no município de Ingá-PBFotos: Arquivo Pessoal e Mayara Bezerra

Por Andreza Valdevino Taís Resende (repórteres) – Luana Gregório (editora)