Salão de Artesanato da Paraíba – Espaço valoriza artesãos e fomenta o artesanato paraibano

Um espaço em que a cultura do artesanato é fortalecida e os artesãos são valorizados: o Salão de Artesanato da Paraíba, que está em sua 26ª edição e conta com 355 artesãos de 80 municípios paraibanos. Eles estão expondo e comercializando os seus trabalhos durante os festejos juninos, realizados no município de Campina Grande.

Em 950 metros em que o salão foi montado, os visitantes podem conhecer e adquirir as artes daqueles que se dedicam a confeccionar peças artesanalmente com características singulares e riqueza de detalhes. Renda Renascença, crochê, algodão colorido, couro, cerâmica, madeira e metal são algumas das peças que podem ser encontradas no local, que funcionará até o próximo dia 2 de julho.

O Salão de Artesanato também é um espaço que pode despertar nas pessoas o interesse em aprender uma nova técnica artesanal. É o caso da artesã Veridiana Palmeira, 49 anos, que conheceu a Renda Renascença, em outra edição do evento e se encantou pelo trabalho desenvolvido pelas rendeiras. A partir disso, se interessou em aprender e há oito anos se dedica a arte de bordar.

Veridiana Palmeira, 49 anos, conheceu a Renda Renascença em outra edição do evento e se encantou pelo trabalho desenvolvido pelas rendeirasFoto: Luana Gregório

Veridiana ressalta que também confecciona peças em bordado e crochê, mas, o seu forte é a renda renascença e destaca a sua paixão pela tipologia.

“(A renascença) é um bordado que não temos muito e eu não quero que essa cultura tão diferenciada morra. Muitas pessoas aprendem fazer a renda, mas não prosseguem, porque é um trabalho demorado, minucioso […] que demora a vender porque não fica uma peça muito barata, como também, porque demora a fazer,” frisou.

A artesã, que já participou de outras edições do evento, está expondo o seu trabalho e de outras colegas da Associação de Arte, Artesanato e Cultura de Lagoa Seca e ressalta a importância do Salão para os artesãos. “Pra mim é uma grande alegria (participar do evento) porque é aqui onde temos a oportunidade de vender, divulgar e mostrar o nosso trabalho a um maior número de pessoas possíveis,” finalizou.

No Salão de Artesanato, que este ano traz o tema “Das águas que renovam a esperança nasce o desenvolvimento”, os visitantes também podem encontrar artesãos que utilizam matéria-prima local para confeccionar as suas peças. É o caso da artesã Riozete Ribeiro de Sá, de 61 anos, que mora na praia de Acaú, localizada no distrito de Pitimbu, no litoral sul da Paraíba. A praia de Acaú é um pólo de pesca de mariscos e após passar pelo processo de trituração é utilizado pelas artesãs para produzir as suas artes.

Riozete Ribeiro, 61, faz uso de matéria-prima da cidade litorânea de Pitimbu para confeccionar as suas peçasFoto: Luana Gregório

Riozete conta que começou a trabalhar com esse material após participar de um curso oferecido pelo SEBRAE na Associação de Marisqueiras de Pitimbu e a há cinco anos se dedica a essa forma de artesanato. Esta é a segunda vez que Riozete participa do Salão de Artesanato em Campina Grande. Para ela o espaço é importante por dar visibilidade ao trabalho dos artesãos paraibanos.

Saiba mais

– O Salão de Artesanato da Paraíba está localizado na Rua Miguel Couto, 227 – próximo ao Parque do Povo. A entrada é gratuita e o local fica aberto das 14h00 às 21h00.

– Você pode conferir mais informações sobre o evento e acompanhar a programação através do Facebook do Salão de Artesanato da Paraíba.

– Para adquirir as peças da artesã Veridiana Palmeira é só visitar o stand de Renda Renascença ou realizar encomendas através dos fones: (83) 99981-2010 ou 99101-9806.

– Para adquirir as peças da artesã Riozete Ribeiro é só visitar o stand ou através do telefone (81) 998439703.

Registros da 26ª edição do Salão do ArtesanatoFotos: Luana Gregório

Por Luana Gregório (repórter) – Iara Alves (editora)