Caminhos cruzados

Alagoa Grande é um reduto de boas histórias e de ilustres cidadãos. Este pedaço do Brejo paraibano resguarda grandes feitos como a luta e a resistência de Margarida Maria Alves e a trajetória musical de Jackson do Pandeiro. Mas todos os outros alagoa-grandenses também traçam o seu caminho, e com isso uma história repleta de magnitude, detalhes e acontecimentos, por menos conhecidos que sejam. É raro, porém, a existência dos que realizam o trabalho que Isaías Vicente, 23 anos, se propõe a fazer: interpretar e dar vida ao cantor Jackson do Pandeiro.

Antes de os caminhos de Isaías e de José Gomes Filho, o Jackson do Pandeiro, se entrecruzarem, a escola da vida preparou o jovem alagoa-grandense e o revelou a sua verdadeira identidade. Nos tempos da adolescência, por meio do ProJovem (Programa Nacional de Inclusão de Jovens), Isaías Vicente lançou-se nos braços da dança e do teatro, companheiros que, no presente, o acompanham em todos os trabalhos que realiza e aos lugares aonde é convidado a ir. Meios pelos quais ele tira o seu sustento e extrai sentido para o seu viver.

Arte e cultura são elementos essenciais na vida de IsaíasFoto: Arquivo Pessoal

Isaías, nascido em 1994, abriu as janelas da sua vida para que, vinte anos depois, uma nova pessoa pudesse ser gerada em seu ser: o próprio Jackson do Pandeiro. “Em 2014, recebi uma proposta ‘pra’ interpretar o Jackson do Pandeiro em um espetáculo chamado ‘A Ópera do Pandeiro’, que conta o nascimento, a vida, sucesso e morte de Jackson, e esse espetáculo foi um laboratório para mim”, conta Isaías sobre o primeiro passo que deu sob as pegadas do rei do ritmo.

Além do espetáculo, outro lugar em que os caminhos dos dois filhos da “terra onde os sapos não cantam” se cruzam é no Memorial Jackson do Pandeiro. Em ocasiões especiais, Isaías Vicente faz recepções artísticas no Memorial tal como Jackson. Se ele é o cover do Rei do Ritmo… Isaías responde que por enquanto prefere não ser chamado por essa nomenclatura, por conta dos direitos autorais do artista.

Em meio a tantas características de Jackson do Pandeiro que chamam a sua atenção, uma incógnita surge em Isaías na hora de citar o que ele pensa ser o aspecto mais interessante na personalidade do artista que o inspirou. Elenca, então, “a forma de cantar, a simplicidade, criatividade e inquietude com que ele executa as suas músicas”. O jovem revela que sempre vê um olhar triste em Jackson, uma característica que ele não sabe de onde surgiu, mas que pode ser atribuída ao fato de Jackson do Pandeiro ter sofrido muito ao longo da vida.

Isaías, assim como o Rei do Ritmo ao longo de sua trajetória musical, venceu muitas barreiras, tais como a timidez, para realizar trabalhos no Memorial Jackson do Pandeiro e para chegar aos palcos da Paraíba, e quem sabe do Brasil e do mundo daqui a algum tempo? No futuro, Isaías pretende crescer como Jackson do Pandeiro e permitir que o artista cresça ainda mais em seu ofício profissional sob a luz de novos talentos, além de tornar-se um cover autêntico. Em meio a surpresas, a vida tem reservado um novo caminho para Isaías Vicente, abrindo-lhe portas que dão acesso ao legado deixado ainda em vida por aquele que poucos chamavam de José Gomes Filho.

Momentos em que os caminhos de Jackson do Pandeiro e de Isaías Vicente se cruzamFotos: Arquivo Pessoal

Por Luiz Felipe Bolis (repórter) – Iara Alves (editora)