Professor realiza sonhos através de aulas de ballet clássico gratuitas

A profissão de professor é uma das mais importantes porque é através dos ensinamentos dos mestres que os demais profissionais são formados. Além de ensinar, o bailarino e professor de ballet clássico, Vagner Gomes (26), acredita que tem a missão de realizar sonhos.

A dança já faz parte de sua vida há 15 anos e atualmente dá aulas no projeto Dança Cidadã, uma iniciativa do Teatro Municipal de Campina Grande e da Associação Amigos do Teatro, que beneficia alunas da rede municipal de ensino. “Aqui estou realizando muitos sonhos. Os meus e os delas”, ponderou.

Vagner destacou que não ensina só o ballet para as suas alunas, mas faz questão de dar lições que elas possam levar para a vida, como disciplina, educação, organização, comportamento e postura. Ele contou ainda que a turma é empenhada e fala com muito carinho de todas: “É impossível não se apegar. Aqui eu vejo os sorrisos mais sinceros, é realmente de dentro pra fora. É muito amor!”, declarou.

Vagner dá aulas em duas turmas para crianças de cinco a doze anos, duas vezes por semana. Uma de suas alunas é a Isabelly Alves Cardoso (05) que garantiu que gosta muito das aulas. A menina foi questionada sobre o que quer ser quando crescer e não hesitou em dizer com fofura que quer ser bailarina. Dá para entender o desejo da pequena em ler alguns versos da canção Ciranda da Bailarina que diz: “Procurando bem. Todo mundo tem pereba. Marca de bexiga ou vacina. E tem piriri, tem lombriga, tem ameba. Só a bailarina que não tem.”

Depois do que aprende sobre a dança, o que Isabelly mais gosta é do professor. Ela disse que conta as horas para chegar ao Teatro e aprender mais com ele e ainda confessou que tem até um sonho: “Quero convidar o professor Vagner para o meu aniversário de seis anos”.

A mãe de Isabelly não esconde o bem que o projeto está fazendo para a sua filha. A técnica de enfermagem, Dijeane Alves Gertrudes (30), relatou que a pequena bailarina ficou mais centrada, organizada e feliz após frequentar as aulas e ratifica o apoio para que a menina siga carreira na dança.

Por Iara Alves (repórter) – Luana Gregório (editora de textos) – Luiz Felipe Bolis (editor de imagens)